Sexta-feira, 6 de Janeiro de 2006

UMA GRUTA, SFF

grotta.jpg

Uma gruta. Uma gruta que se abra frente aos olhos e me agarre os dedos, tapando-me a memória e escondendo-me os medos do futuro. Mas uma gruta que seja uma gruta sem fim. Também sem começo. Para que nela não entre nem dela possa sair. Apenas estar lá o tempo que sacie o apetite de lá estar. O exacto tempo de repouso, com as emoções transformadas em almofada para lhe pendurar o cabelo. Em que o prazer e o pânico da solidão acabe o jogo empatados a zero. E ainda sobre para sonhar. Sonhar. Poucochinho mas alguma coisa. É pedir de mais? É. Eu sei. Mas não desisto. Uma gruta. Com água lisa, é claro.

Bom fim-de-semana para todos vós. Para mim, também.
publicado por João Tunes às 23:57
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Ana a 8 de Janeiro de 2006 às 21:29
Literatura ? Sim, Poema também.
Sonho e utopia.
Lindo. Estou embevecida.


De E.T. a 8 de Janeiro de 2006 às 01:01
ora bolas, então ninguém comenta este belo texto? Isto é literatura da melhor, meus amigos.
Bjsuuus


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. NOVO POISO

. HONRA A GARY COOPER

. Efeméride ao cair do pano

. E VÃO DOIS, QUE DOIS

. AFINAL…

. DESABAFO MASOQUISTA

. Bom fim-de-semana

. CHE E AS MAMAS DA VIZINHA

. AINDA (SEMPRE) MÁRIO PINT...

. CAMILA VAI PARA A TROPA

.arquivos

. Setembro 2007

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds