Terça-feira, 31 de Janeiro de 2006

JÁ VI UM CÃO DANÇAR COM UMA GATA...

danc.JPG

Entre as análises mais circunspectas, estruturadas, serenas e lúcidas que tenho lido sobre o pós-eleições, contam-se as de João Vasconcelos Costa. Sobretudo, a não perder, o seu recente post intitulado “O novo bloco central: Cavaco-Sócrates”.

Ressalva única: acho que o JVC não previu, ou evitou, o cenário que me parece como muito provável e aí nos ameaça – na dupla Sócrates/Cavaco, termos, para vergonha infinita da esquerda, o “pólo cavaco” a “moderar” os ímpetos tecnocráticos e de desumanidade social do “pólo sócrates”…

E, a ser assim, cruzes canhoto - mas eu garanto que já vi um cão a dançar com uma gata - a arrumação política ia ficar abandalhada: o Presidente, este próximo Presidente, apoiado pelo PSD e pelo CDS, a moderar, em nome de Keynes, o “tatcherismo” do discípulo de Tony Blair! Fócrates!
publicado por João Tunes às 23:09
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De Joo a 3 de Fevereiro de 2006 às 13:13
Obrigado pelo contributo, caro Vitor. Pois, em Itália, há mais "curvas" que pontos e vírgulas... Abraço.


De Vitor Sousa a 1 de Fevereiro de 2006 às 15:13
Caro Joao Tunes, se me permite, transfiro do bloge do seu homonimo Vasconcelos Costa o comentario la vertido. Curiosamente, posso mante-lo indemne, nomeadamente o introito....

-------------------------------

Joao, tal como ja havia diagnosticado aquando da emersao das primeiras sondagens, as quais descortinavam a existencia massiva de transfugas, dispostos a abdicar do voto ideologico "mumificado" - no PCP -, divergindo para Cavaco, confirma-se que a ideologia encanece. Antes de mais porque os grandes baluartes do voto ideologico estao no crepusculo da sua existencia, substituidos por legatarios politicos - como cidadaos - alienados e vulneraveis as espirais de poder. Por isso, enalteço a sua perspicuidade, ao alertar para este espurio - apesar de quase inexoravel - "bloco central".
Quanto ao movimento de cidadania, confesso que rejuilaria se assistisse, em Portugal, a germinaçao de clubes politicos que possibilitassem o debate sem mordaças, ou linearidades. Todavia, ha perigos para os quais devemos dedicar atençao. As frases que se seguem, exumadas de um dos meus ultimos textos, pretendem enfatizar alguns deles.

"A edificação de um Movimento Cívico oficial, com lideranças enquistadas, poderá redundar, novamente, na submissão consentida. O próprio Manuel Alegre, como instigador da emancipação cívica, deverá repelir o trajo de porta-voz vitalício de cidadãos ávidos de rupturas, porquanto cada cidadão, respeitando o ideário cívico primevo, deve reivindicar a condição de arauto de si. Se a manutenção indemne da autonomia mental conviver, harmoniosamente, com organizações definidas, existirá exequibilidade. Mas renovo o alerta: cuidado com as dependências, paradoxos insanáveis da cidadania escorreita."

A cidadania assenta na ideologia informe, pelo que, além dos aspectos sublinhados, é imperioso clarificar fronteiras. Se o clube, ou movimento, civico apartidario pretende instigar a liberdade, Alegre e os potenciais aderentes - aqui me incluo - deverao definir, como escopo primordial, a pluralidade, a qual gera, inevitavelmente, dissidencias. Mas dissidencias democraticas. Por exemplo, se o movimento iniciar a sua actividade pugnado pela liberalizaçao do aborto, manifestarei a minha relutancia. Porque a submissao as cupulas, numa perpesctiva de mal menor, deve continuar a ser uma idiossincrasia da carneirocracia partidarioa.

P.S.: A proposito de carneirocracia, Vasco Pulido Valente coabita com Constança Cunha e Sa no blogue "O Espectro". Num dos seus concisos textos, procede a um relato sobre a rocambolesca e modorrenta vida de um deputado na Assembleia. Entre outros aspectos, destaca-se o acolhimento de indicaçoes de voto, emanadas da direcçao da bancada parlamentar. Relato elucidativo, mas se VPV pretende cauterizar os deputados, nao devera esquecer que foi, mesmo que um periodo efémero, conivente com o servilismo.

P.S.1 - Perdoe-me a ausencia de pontuaçao, cujas motivaçoes sao consabidas. Um abraço.


De Ana a 1 de Fevereiro de 2006 às 10:21
Mas um FÓCRATES com muita força !
Só de imaginar Cavaco e Sócrates valsando em ambiente vienense, imagem sugestionada pelo seu cão que dança com gata...


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. NOVO POISO

. HONRA A GARY COOPER

. Efeméride ao cair do pano

. E VÃO DOIS, QUE DOIS

. AFINAL…

. DESABAFO MASOQUISTA

. Bom fim-de-semana

. CHE E AS MAMAS DA VIZINHA

. AINDA (SEMPRE) MÁRIO PINT...

. CAMILA VAI PARA A TROPA

.arquivos

. Setembro 2007

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds