Sexta-feira, 3 de Fevereiro de 2006

NEO-BOLCHEVISMO COM OVO A CAVALO

r2542763265[2].jpg

Ovo é, galinha o põe:

“Se é verdade, e é, que um ou vários bons resultados eleitorais dão mais força à nossa intervenção – quantos mais votos tivermos numa eleição maior é a nossa capacidade de acção e de mobilização para a luta - também sabemos, por experiência própria, que um ou vários maus resultados eleitorais não nos levam a desistir de lutar, a perder perspectivas, a abandonar os nossos objectivos, a deixar de cumprir o papel de partido da classe operária e de todos os trabalhadores. Isto porque a actividade do Partido, tendo na luta eleitoral uma importantíssima componente, de forma alguma se esgota nela – ao contrário do que acontece com a generalidade dos restantes partidos políticos. Sabemos que, contados os votos de cada acto eleitoral e independentemente do resultado obtido, no dia seguinte a luta continua: com maiores dificuldades se o resultado é mau ou menos bom, com menores dificuldades se o resultado é positivo – mas continua sempre.” (aqui)

Ou seja, passada a fase da sedução eleitoral, vendida a imagem do Jerónimo, o jogo eleitoral volta a ser reduzido à sua verdadeira expressão – uma alavanca para a revolução. Mirífica? Sim. Mas persistente, pelo menos ao nível do hábito ou do tique. Mentira eleitoral? Sempre.
publicado por João Tunes às 16:13
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. NOVO POISO

. HONRA A GARY COOPER

. Efeméride ao cair do pano

. E VÃO DOIS, QUE DOIS

. AFINAL…

. DESABAFO MASOQUISTA

. Bom fim-de-semana

. CHE E AS MAMAS DA VIZINHA

. AINDA (SEMPRE) MÁRIO PINT...

. CAMILA VAI PARA A TROPA

.arquivos

. Setembro 2007

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds